Você está aqui
Home > Notícias > Novo salário mínimo e seu poder de compra

Novo salário mínimo e seu poder de compra

Novo salário mínimo

Novo salário mínimo e seu poder de compra:  o que você achou do reajuste? 

Por meio de uma medida provisória, o novo salário mínimo teve um pequeno reajuste, passando a valer R$ 1.045 em fevereiro de 2020.

Após refazer as contas, a equipe econômica do governo decidiu pelo reajuste, para que seja possível “repor perdas com a inflação”.

Diante do acontecido, muitos se perguntam sobre o real poder de compra do novo salário mínimo em 2020.

Se por um lado, o governo declara que o reajuste do salário para repor a defasagem em relação ao índice da inflação “aumenta despesas do orçamento”, por outro lado, teria o novo valor do mínimo, de fato, aumentado o poder de compra do trabalhador?

Afinal, o que é possível comprar com um salário mínimo? É sobre isso que falaremos a seguir, acompanhe!

Poder de compra do novo salário mínimo 2020: duas cestas básicas e mais 1 kg de carne

Para sintetizar o poder de compra do salário mínimo reajustado em 2020, podemos dizer que ele dá ao trabalhador, a possibilidade de comprar duas cestas básicas e mais 1 kg de carne.

R$ 1.013 é o valor estimado das cestas básicas e  R$ 31.52 é o montante que hoje vale 1 kg de carne.

É o que diz uma matéria publicada pelo portal de notícias R7 (LINK).

De acordo com o R7:

“Além da reposição pelo INPC (Índice de Preços ao Consumidor) de 2019, que fechou em 4,48%, também foi incorporado um resíduo de 2018 (porcentagem do INPC daquele ano que não havia sido levada em conta no reajuste do mínimo de 2019). Com os aumentos, portanto, o poder de compra do salário mínimo fica igual ao que era no final de 2018. O total do reajuste do valor do mínimo de 2019 para 2020 ficou em 4,71%, já que em 2019, o salário mínimo estava em R$ 998.”

Veja também:  Salario Minimo Japão - Saiba o Valor por Profissão e Região

Poder de compra do salário mínimo: muito abaixo do necessário

Conforme o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), no mês de dezembro, a média de uma cesta básica estava em torno de R$ 506,50. Os itens comuns da cesta são arroz, feijão, farinha, carne, café, batata e tomate.

Vale dizer que conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnadc), feita pelo IBGE, a renda média mensal de 60% dos trabalhadores brasileiros ficou abaixo de um salário mínimo em 2018.

O cenário atual nos mostra que, de fato, o valor do salário mínimo continua bem distante de suprir as necessidades básicas do brasileiro que te quem viver com esse valor.

Em São Paulo, por exemplo, apenas com o transporte público, com o reajuste da passagem para R$ 4,40 em 2020,  temos o comprometimento de 17% do salário mínimo. O gasto em transporte soma o total de R$ 176.

Ou seja, o poder de compra de um salário mínimo continua muito abaixo das expectativas e das necessidades.

Segundo os estudos do DIEESE, para suprir as necessidades básicas do trabalhador, o salário mínimo deveria ser quatro vezes maior do que o atual. Afinal, ele precisa atender a constituição que aponta como necessidades básicas, acesso a moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Previdência Social.

E você, o que achou do novo poder de compra do salário mínimo? Conte pra nós!

Deixe uma resposta

Top